Música
  • Adriana Calcanhotto
  • Madredeus
  • Maria Rita
  • Música Total
  • REM
  • Vox Pop
  • Livros
  • Novos Livros
  • Todos os Livros
  • Cinema
  • 7ª Arte
  • Cinema Sapo
  • Cinecartaz Público
  • Viagens & Lazer
  • Net Viagens
  • Porto Noite
  • Público-Lazer
  • Viagens Abreu
  • Moda / Mulher
  • Máxima
  • Bibliotecas
  • APBAD
  • Biblioteca FEUP
  • Diversos
  • Psicologia.com
  • O SILÊNCIO
    2/06/2007
    Há milénios que os homens fazem barulho para encobrir o silêncio que há em si. Há milénios que batucam, cantam, dançam para evocarem forças superiores a si próprios, para terem apoio. Para fugirem de si. Do seu próprio silêncio. O silêncio interior é tão profundo quanto o silêncio do deserto. Mais profundo, mais denso, mais sepulcral. Dizem que o silêncio interior é o mais difícil de suportar. O homem tenta, às vezes, mas na maior parte, desiste. Não aguenta, e vai. Foge.Segue em frente para novas aventuras, sempre para fora de si próprio.
    O silêncio serve para se ouvir. O barulho serve para nos calarmos.
    Só quem ouve é que sabe,
    Só quem sabe é que intui
    Só quem intui é que sente
    Só quem sente é quem vive.

    Alexandra Solnado, Fevereiro 2007
    publicado por Sandra Alves @ 2/06/2007 01:25:00 da manhã   0 comentário(s)
    O ÚNICO DEFEITO DA MULHER
    1/23/2007
    DIVINAL!!!!!

    Está brilhante...ainda mais escrito por um homem!!!!
    O ÚNICO DEFEITO DA MULHER
    "Se uma memória restou das festinhas e reuniões de familiares da minha infância, foi a divisão sexual entre os convivas: mulheres de um lado, homens do outro.
    Não sei se hoje isso ainda acontece. Sou anti-social ao ponto de não frequentar qualquer evento com mais de 4 pessoas, o que não me credencia a emitir juízos.
    Mas era assim que a coisa acontecia naqueles tempos. Tive uma infância feliz: sempre fui considerado esquisito, estranho e solitário, o que me permitia ficar quieto a observar a paisagem.
    Bem, depressa verifiquei que o apartheid sexual ia muito além das diferenças anatómicas.
    A fronteira era determinada pelos pontos de vista, atitude e prioridades.
    Explico: no lado masculino imperava o embate das comparações e disputas.
    "O meu carro é mais potente, a minha televisão é mais moderna, o meu salário é maior, a vista do meu apartamento é melhor, a minha equipe de futebol émais forte, eu dou 3 por noite" e outras cascatas típicas da macheza latina. Já no lado oposto, respirava-se outro ar. As opiniões eram quase sempre ligadas ao sentir. Falava-se de sentimentos,frustrações e recalques com uma falta de cerimónia que me deliciava. Os maridos preferiam classificar aquele ti-ti-ti como mexerico. Discordo. Destas reminiscências infantis veio a minha total e irrestrita paixão pelas mulheres. Constatem, é fácil. Enquanto o homem vem ao mundo completamente cru, as mulheres já chegam com quase metade da lição estudada. Qualquer menina de 2 ou 3 anos já tem preocupações de ordem prática. Ela brinca às casinhas e aprende a pôr um pouco de ordem nas coisas. Ela pede uma bonequinha a quem chama filha e da qual cuida, instintivamente, como qualquer mãe veterana. Ela fala em namoro mesmo sem ter uma ideia muito clara do que vem a ser isso. Noutras palavras, ela já nasce a saber. E o que não sabe, intui. Já com os homens a historia é outra. Você já viu um menino dessa idade a brincar aos directores?
    Já ouviu falar de algum garoto fingindo ir ao banco pagar as contas?
    Já presenciou um bando de meninos fingindo estar preocupados com a entrega da declaração do IRS?
    Não, nunca viram e nem hão-de ver.
    Porque o homem nasce, vive e morre uma existência infanto juvenil.
    O que varia ao longo da vida é o preço dos brinquedos. Aí reside a maior diferença.
    O que para as meninas é treino para a vida, para os meninos é fantasia e competição.
    Então a fuga acompanha-os o resto da vida, e não percebem quanto tempo eles perdem com seus medos. Falo sem o menor pudor. Sou assim. Todos os homens são assim.
    Em relação ao relacionamento homem/mulher, sempre me considerei um privilegiado.
    Sempre consegui ver a beleza física feminina mesmo onde, segundo os critérios estéticos vigentes, ela inexistia.
    Porque todas as mulheres são lindas.
    Se não no todo, pelo menos em algum detalhe.
    É só saber olhar. Todas têm a sua graça.
    E embora contaminado pela irreversível herança genética que me
    faz idolatrar os ícones da futilidade, sempre me apaixonei
    perdidamente por todas as incautas que se aproximaram de mim.
    Incautas não por serem ingénuas, mas por acreditarem.
    Porque todas as mulheres acreditam firmemente na possibilidade do homem ideal.
    E esse é o seu único defeito."
    Texto de Sérgio Gonçalves, redactor da Loducca, publicado no jornal da agência
    publicado por Sandra Alves @ 1/23/2007 10:27:00 da tarde   1 comentário(s)
    NOVOS JEANS, JÁ É MODA NO JAPÃO
    1/18/2007
    publicado por Sandra Alves @ 1/18/2007 09:26:00 da tarde   2 comentário(s)
    ABORTO
    1/17/2007

    Fonte: www.nao-mesmo.org
    publicado por Sandra Alves @ 1/17/2007 11:14:00 da tarde   2 comentário(s)
    O AFECTO
    1/16/2007
    Agora vou falar-te do afecto. Os problemas afectivos da humanidade são provocados por um alto grau de voltagem cósmica. É como se uma imensidão de Iões e Protões (energéticos) se acumulassem dentro de vocês e provocassem um fenómeno difícil de controlar. O fenómeno da aero-vizinhança. Isto é, eu não consigo sentir nada sem que obrigue o meu vizinho a sentir também. É difícil para a maioria das pessoas utilizar o sentimento individualmente. A maior parte das pessoas quer "dividir" o sentimento, quer "compartilhar", "explicar" o que sente.
    E se eu te disser que o sentimento é para ser vivido sozinho? Que a solidão amplia e aprofunda o aprendizado do "eu" através do sentimento? Tudo o que tu "compartilhas", "divides" e "explicas" esvai-se, dissolve-se, compromete-se, pois a reacção do parceiro está sempre presente na história.Todos falam em "felicidade a dois". Porque é que ninguém fala em "felicidade a um"? Porque ninguém pensa que deve ser feliz sozinho, ou triste sozinho, ou incomodado, ou carente sozinho? Só a vivência pura, profunda e singular de uma emoção pode trazer ao de cima as mais sublimes revelações do "eu". Só ficando sozinho, sentindo sozinho, não tendo que compartilhar a emoção com ninguém, é que ela se exprime em toda a sua envolvência e maturidade, fazendo-nos crescer e sermos individuais.
    Alexandra Solnado, 2007
    publicado por Sandra Alves @ 1/16/2007 09:05:00 da tarde   0 comentário(s)
    PENSAMENTO
    1/10/2007
    As pessoas vivem vidas inteiras de enganos. Acham que apanharam "o fio à meada" através do controle, deixando a vida previsível. Ora, a vida não é previsível nem tem de o ser. Se Deus vos colocou num mundo com problemas é porque Ele sabe que, tentando superar os obstáculos, vocês vão ficando mais inteligentes, mais evoluídos.E se conseguirem conectar-se e resolver os assuntos com a vossa alma, ainda melhor. Deus colocou-vos problemas para vos ajudar a evoluir e o que é que vocês fazem? Activam o controle e passam a vida a arquitectar e a fazer estratégias para afastar os problemas, para evitá-los. Quem evita os problemas não evolui!Vocês têm de enfrentar o vosso eterno medo da perda. Se considerarem que nada daí é vosso, que tudo é emprestado pela vida, nunca perderão nada e, assim, não irão necessitar de se defender tanto, de controlar tanto. O medo de perder gera controle e o controle gera frustração porque a vida bloqueia. Para que a vida possa fluir, para que o vosso caminho se apresente, há que parar de controlar e observar a vida a trazer os seus sinais, a apresentar-se. Só que, para parar de controlar há que aprender a perder. A perda está directamente ligada à fluidez davida, à felicidade. E é aqui que residem os enganos. As pessoas pensam que, para serem felizes têm de ter, têm que ganhar, mas, na realidade, para se encontrarem, para se conectarem com o que são, têm de aprender a perder. Quando este engano é revisto, quando a pessoa realmente compreende que o ganhar e o manter tem a ver com a auto-estima exterior (gostar de si pelo Ter e não pelo Ser), quando ela percebe que não é assim, tudo volta ao seu lugar e a pessoa começa então a trilhar o verdadeiro caminho da verdadeira felicidade.

    Alexandra Solnado, 2006
    publicado por Sandra Alves @ 1/10/2007 09:02:00 da tarde   0 comentário(s)
    O PODER DO ESCORPIÃO
    Escorpião pica passageiro de avião nos Estados Unidos
    Um homem de 46 anos foi picado por um escorpião, a bordo de um voo entre Chicado e o Vermont. O passageiro não sofreu consequências graves, e a companhia tenta agora perceber como é que o animal entrou no avião
    Caricato, não?????
    publicado por Sandra Alves @ 1/10/2007 01:32:00 da manhã   1 comentário(s)
    MEDITAÇÃO NA PASTELARIA
    1/04/2007
    Por favor, Madame, tire as patas,Por favor, as patas do seu cãoDe cima da mesa, que a gerênciaAgradece. Nunca se sabe quando começa a insolência!Que tempo este, meu Deus, uma senhoraEstá sempre em perigo e o perigoEm cada rua, em cada olhar,Em cada sorriso ou gestoDe boa-educação! A inspecção irónica das pernas,Eis o que os homens sabem oferecer-nos,Inspecção demorada e ascendente,Acompanhada de assobiosE de sorrisos que se abrem e se fechamProcurando uma fresta, uma fraquezaQualquer da nossa parte... Mas uma senhora é uma senhora.Só vê a malícia quem a tem.Uma senhora passaE ladrar é o seu dever – se tanto for preciso!*O pó de arroz:Horrível!O bâton:Igual!O amor de Raul é já uma saudade,Foi sempre uma saudade...(O escritórioToma-lhe o tempo todo?Desconfio que não...)Filhos tivemos um:Desapareceu...E já nem sei chorar!*Chorar...Como eu queria poder chorar! Chorar encostada a uma saudadeBem maior do que eu,Que não fosse esta tristezaAbsurda de cada dia:UnhaQuebrada de melancolia... Perdi tudo, quase tudo... Hoje,Resta-me a devoçãoE este pequeno inteligente cão. Por favor, Madame, tire as patas,Por favor, as patas do seu cãoDe cima da mesa, que a gerênciaAgradece.

    Alexandre O'Neill (1924 - 1986)in "No Reino da Dinamarca" (1958)
    publicado por Sandra Alves @ 1/04/2007 11:15:00 da tarde   0 comentário(s)
    PAIS NATAIS ORIGINAIS
    12/22/2006

    publicado por Sandra Alves @ 12/22/2006 06:06:00 da manhã   1 comentário(s)
    Quadra Natalícia
    12/18/2006















    E UM EXCELENTE ANO DE 2007
    publicado por Sandra Alves @ 12/18/2006 11:58:00 da tarde   0 comentário(s)
    Sobre Mim
    Sandra Alves

    Porto, Portugal

    Posts Recentes
    Arquivos
    Blogues
    Feeds, Stats and Tools


    BLOGGER

    eXTReMe Tracker